Anuncie connosco
Pub
Notícias | Desporto e Lazer

equipas de Loures brilham na taça

Sacavenense e Loures na Taça

5 de novembro de 2018
Partilhar

As equipas de Loures brilharam na taça. E o Notícias de Loures esteve lá. Não conseguiram a vitória, aquilo que mais interessava, mas conseguiram dar uma imagem espetacular de si numa competição difícil e com adversários de primeira, o Sporting, e o Desportivo das Aves, o detentor da taça de Portugal.

 

Loures 1 x Sporting 2

 

A formação leonina impôs as enormes distâncias que a separam do Loures e venceu o jogo, mas fê-lo sem brilho. Ao contrário do Loures que não só conseguiu encontrar distâncias como chegou a desperdiçar várias oportunidades em momentos decisivos do jogo.

Na primeira parte o Sporting dominou, é verdade, mas de forma tímida e sem nunca impor um grande ascendente.

O Loures por seu turno brilhou, brilhou ao segurar o Sporting durante quase toda a primeira parte e acima de tudo brilhou depois de estar a perder por dois a zero, altura em que de forma descomplexada foi para cima do adversário, criou oportunidades claras e concretizou um mais que justo golo por Juninho aos 92 minutos. Fugiu pela esquerda e bateu cruzado para o fundo da baliza. Um golo justo e muito festejado.

Nada mais justo, nada mais lógico. O Loures mereceu muito mais fazer a festa

A equipa de André David foi crescendo no jogo, foi-se soltando, foi-se tornando mais atrevida e mostrou bons pormenores. O Loures defendeu bem e foi saindo para o ataque com fluidez. Mostrou bons princípios de jogo e uma excelente atitude.

 

Sacavenense 1 x Aves 3

 

O Aves venceu o Sacavenense, por 3-1, e assegurou a passagem à quarta eliminatória da Taça de Portugal em futebol, num encontro em que apenas garantiu o golo do conforto no último minuto.

O então sétimo classificado da série D do Campeonato de Portugal bateu-se de forma séria e lutou até ao último segundo pela qualificação.

O Sacavenense, que não perdia em casa desde 13 de dezembro de 2017, preencheu melhor os espaços, uma situação que o Desportivo das Aves nunca conseguiu controlar.

Apesar disso, os comandados de José Mota, com melhores atributos físicos, inauguraram o marcador, aos 32 minutos, graças a um cabeceamento de Diego Galo, na sequência de um canto.

Esta vantagem durou pouco, já que aos 36 minutos Ivo Braz restabeleceu a igualdade com um golo absolutamente espetacular e que aconselhamos a verem. Um golo de belo efeito.

Correu pela esquerda rodopiou em cima da bola, tirou um adversário da frente e bateu o guarda-redes André Ferreira devolvendo a igualdade ao jogo.

Perto do intervalo, Derley recolocou os avenses na condição de vencedores, aos 42 minutos.

Na segunda parte, o Sacavenense foi ligeiramente superior ao Aves, mas não conseguiu marcar. Aos 90+7 por intermédio de Nildo o Aves conseguiu um golo quando todos os jogadores, inclusive o guarda redes do Sacavenense, Hugo Cardoso, estavam na área do Aves para um livre lateral marcado para área.

Um resultado que podemos considerar injusto.

Última edição

Opinião