Anuncie connosco
Pub
Notícias | Saúde

Portugal é um dos países do mundo onde o sarampo foi eliminado

Sarampo: porque devemos vacinar-nos?

8 de maio de 2018
Partilhar

Portugal é um dos países do mundo onde o sarampo foi eliminado. Apesar disso, por vezes ainda existem alguns casos e surtos da doença. Isto acontece porque o vírus do sarampo pode entrar no país através de viajantes vindos de locais onde esse micro-organismo ainda está em circulação. Por isso, é essencial que utilizemos a melhor ferramenta conhecida para prevenir e vencer a doença: a vacinação!

O sarampo é uma das infeções mais contagiosas e transmite-se de pessoa-a-pessoa, através do contato com gotículas de pessoas infetadas (por exemplo, quando o doente tosse ou espirra ou quando há partilha de copos). Habitualmente, a doença é benigna, mas pode ser grave em alguns casos, especialmente em crianças e grávidas não vacinadas.

A doença pode mesmo levar à morte ou ao aumento do risco de complicações, como na gravidez, tais como o trabalho de parto prematuro ou o aborto. Por isso, é importante prevenirmos a doença e estarmos atentos aos sintomas! Habitualmente, a doença surge com sintomas de mal-estar e febre alta, seguido de corrimento nasal, conjuntivite e tosse. Passados alguns dias, costumam surgir pequenos pontos brancos na boca e manchas na pele, primeiro na face e depois espalhadas pelo tronco e membros.

A doença pode ser transmitida desde 4 dias antes e até 4 dias após o início da erupção cutânea. Desde a introdução da vacina do sarampo em 1974, os casos diminuíram de forma marcada até à atualidade. No mundo, os resultados também são evidentes: segundo a Organização Mundial da Saúde, a vacinação contra o sarampo resultou numa diminuição de 84% nas mortes provocadas por esta doença entre 2000 e 2016, prevenindo mais de 20 milhões de mortes.

Hoje em dia, em Portugal, mais de 95% da população está imune: no geral, quem nasceu antes de 1970 está protegido por ter tido a doença e os nascidos depois de 1970 estão protegidos por terem sido vacinados. No entanto, algumas pessoas vacinadas podem também contrair a doença, por diminuição da proteção ao longo do tempo. Felizmente, em pessoas já vacinadas a doença é mais ligeira e a probabilidade de haver complicações é muito menor, sendo também menos contagiosa.

A vacinação de uma elevada percentagem da população dá origem à “Imunidade de Grupo”. Esta é essencial para o controlo e erradicação das doenças contagiosas, pois permite proteger alguns grupos que não podem ser vacinados (por exemplo, crianças muito pequenas ou doentes com o sistema imunitário enfraquecido). Como se tem verificado, a ocorrência de surtos de sarampo nos últimos anos em Portugal e noutros países europeus deve-se principalmente à existência de comunidades não vacinadas.

Apesar do recente surto de sarampo, não há razões para temer uma grande epidemia de sarampo em Portugal, uma vez que a larga maioria das pessoas está protegida e desde que se mantenha a cobertura vacinal elevada. O esquema de vacinação recomendado em Portugal consiste em 2 doses: aos 12 meses e 5 anos de idade. Nos adultos nascidos depois de 1970 recomenda-se 1 dose. Relativamente aos profissionais de saúde, recomendam-se 2 doses independentemente do ano de nascimento. Assim, recomenda-se que consulte o seu boletim de vacinas e, se necessária, entre em contato com o seu Centro de Saúde.

Se esteve em contacto com um caso suspeito de sarampo ou se tem sintomas sugestivos de sarampo, não se desloque aos serviços de saúde e evite o contacto com outras pessoas. Em vez disso, ligue para a linha de apoio telefónico SNS 24 - 808 24 24 24.
A vacinação é a principal medida de prevenção, é gratuita e está disponível no seu Centro de Saúde. Por isso, vacine-se!

Unidade de Saúde Pública do ACES Loures-Odivelas
20/04/2018
Afonso Moreira, Carla Pereira, Cristiano Gante, David Prescott, Lisete Lopes, Renato Ribeiro

Última edição

Gala Notícias de Loures

Gala | Notícias de Loures

Opinião

Eleições

Newsletter