Anuncie connosco
Pub
Notícias | Atualidade

Regularização Fluvial e Controlo de Cheias da Ribeira do Prior Velho

11 Milhões e Meio Para Escoar

6 de maio de 2019
Partilhar

A obra de Regularização Fluvial e Controlo de Cheias da Ribeira do Prior Velho representa um investimento de 11 milhões e meio, o “maior investimento da história do Município de Loures” terá início no mês de maio.

Representa um investimento global de onze milhões e meio de euros (9.175.724,80 euros + IVA) suportados pela Câmara Municipal de Loures e por fundos comunitários.

A obra, contempla a construção de um novo caneiro (estrutura que drena as águas para o rio) na zona urbana de Sacavém, bem como a construção de uma estação elevatória na Praça da República, que permitirá o bombeamento das águas pluviais, aumentando a capacidade de escoamento na zona.

O objetivo desta obra é diminuir o risco e atenuar as vulnerabilidades na zona baixa de Sacavém, alvo frequente de fenómenos de cheias que causam danos materiais a residentes, estabelecimentos comerciais e indústria, e colocam também em risco a integridade física das pessoas.

De referir, ainda, que esta intervenção insere-se noutras que também terão lugar na cidade e que passam pela qualificação de outras zonas de Sacavém, como a requalificação da Praça da República, com arranjos dos passeios e do jardim.

A obra do Caneiro de Sacavém foi adjudicada à empresa DST – Domingos da Silva Teixeira S.A.. Após a assinatura do documento, entre o presidente da Câmara Municipal de Loures e o vice-presidente da DST, Joaquim Teixeira, Bernardino Soares salientou a importância da obra para a cidade de Sacavém: “Uma obra que vai permitir resolver o problema das cheias na zona baixa de Sacavém e requalificar toda essa zona, constituindo o maior investimento da história do Município de Loures”.

“A nossa expectativa é que esta obra corra, agora, dentro do prazo, que são 540 dias”, referiu. “Esperamos, também, minimizar os impactos que esta intervenção vai ter na vida das pessoas de Sacavém e de toda a zona oriental do concelho”.

De acordo com o presidente do Município de Loures, “a Câmara tem vindo a tomar um conjunto de medidas em articulação com várias entidades – comerciantes, forças de segurança, operadores de transportes públicos – no sentido de encontrar soluções para os constrangimentos de uma obra necessariamente complexa, conciliando-a com a vida normal das pessoas”. Para o efeito, irá ser mobilizado o terreno do antigo quartel de Sacavém “para servir de apoio a um conjunto de necessidades, que de outra forma seriam mais difíceis de acomodar, como são as questões de estacionamento, circulação de transportes públicos e outras”, acrescentou Bernardino Soares.

O autarca destacou, ainda, a “aposta na comunicação à população” com a abertura de um Serviço de Informação Municipal, no n.º 36 da Avenida São José, em Sacavém – local onde decorreu a cerimónia de assinatura do auto de consignação – e que irá funcionar no decurso da obra.

“Aqui será o ponto de informação privilegiado para quem quiser consultar os projetos, obter informações sobre o andamento da obra e as suas diversas fases, de modo a que cada um saiba com o que pode contar”, concluiu”.

Na cerimónia de assinatura do auto de consignação marcaram também presença o vice-presidente da Câmara, Paulo Piteira, bem como os vereadores Tiago Matias, Nuno Dias e Ivone Gonçalves.

Última edição

Gala Notícias de Loures

Gala | Notícias de Loures

Opinião

Eleições

Newsletter