Anuncie connosco
Pub
Notícias | Atualidade

Sem receber desde outubro de 2019

Misericórdia de Moscavide em crise

2 de fevereiro de 2020
Partilhar

Vencimentos e subsídios de natal estão em atraso e trabalhadoras passam o dia sem nada para fazer nas instalações da instituição, sem condições de higiene e limpeza nem seguro. Direção cancelou acordo que mantinha com a Segurança Social.

As trabalhadoras da Santa Casa da Misericórdia de Moscavide (SCMM), instituição de solidariedade social localizada na Avenida de Moscavide, encontram-se sem receber salários nem quaisquer outros vencimentos desde o passado mês de outubro de 2019, estando em falta os salários de novembro e dezembro de 2019 e ainda o subsídio de natal (à data do fecho desta edição).

Além da falta de pagamento, estas trabalhadoras também não dispõem de seguros de acidentes de trabalho, obrigatórios por lei, dado que os últimos caducaram a 30 de novembro de 2019 e não foram renovados pela direção da SCMM.

De acordo com as trabalhadoras, a direção da instituição cancelou o acordo que mantinha com a Segurança Social para apoio financeiro à atividade da SCMM, encontrando-se atualmente as funcionárias sem trabalho nem tarefas para fazer, passando o tempo no local de trabalho, sem condições, aguardando que termine o horário de expediente.

Os novos órgãos sociais, eleitos a 18 de janeiro, terão agora a palavra, dado que os anteriores, que estavam demissionários, recusaram-se a demitir as funcionárias ou a acionar o fundo de garantia salarial, o que fez com que a situação financeira das trabalhadoras se tornasse crítica, com reflexos visíveis na sua saúde física e psicológica.

Segundo Ricardo Lima, Presidente da Junta de freguesia de Moscavide e Portela «a junta acompanha este processo com muita preocupação. Importa ainda dizer que o trabalho realizado pela SCMM é fundamental para os residentes da freguesia de Moscavide e Portela, nomeadamente no apoio domiciliário [...]"estamos certos que, em breve, serão encontradas soluções que permitam ultrapassar estas situações e continuamos disponíveis para fazer parte da solução, considerando o histórico, importância e reconhecimento das pessoas no trabalho da Santa Casa da Misericórdia de Moscavide”.

Fonte próxima da direcção da Misericórdia afirma que estão a ser estudadas várias alternativas segundo o que o NL conseguiu apurar, há vários cenários previstos e, brevemente, voltaremos ao tema com novas informações.

Última edição

Opinião