Anuncie connosco
Pub
Opinião
Pedro Cabeça – Advogado
Pedro Cabeça
Advogado

Opinião de Pedro Cabeça

A Ditadura germinou. Reforços Democráticos precisam-se

5 de fevereiro de 2019
Partilhar

Caminhamos, hoje, e já não amanhã, para um reforço dos velhos princípios anti democráticos europeus esses valores que vamos ouvindo louvados por uma nova classe política que ganha espaço semeando ditaduras, empolando ódios e adubando tais sementes com os erros da democracia. O populismo que a história já nos deu a conhecer e que se espalhou pelo Mundo está aí firme e a ganhar raízes fortes.

A semente já conseguiu germinar e está firme na fase de “enaltecer” os erros ou fragilidades das democracias, sublinhando-os s e colocando-os a negro.

Infelizmente os, auto proclamados, democratas acabam por usar os mesmos meios empolando tudo o que há de mau na democracia, e não procurando corrigir tais erros.

Alguns Partidos democráticos, através dos seus dirigentes e militantes, deixam-se construir cavalgando os erros dos outros, escusam a construção , começam a alimentar-se e a fazer crescer a importância da falta de mérito dos outros para que o poder lhes caia na mão.

Estes Políticos esquecem que tudo isso está a dar força a um monstro que não é um pesadelo distante é uma realidade, veja-se o crescimento destes populismos aqui ao lado na Itália, na Polónia, na Hungria, em França, em Espanha, para não falarmos dos outros continentes.

A nova ditadura já chegou e começa a instalar-se , de forma perigosa, é vendida nos média sob uma estúpida máscara de “ditadura Subtil” . Não há ditaduras subtis e em cada “notícia” “propagandeada” por gente que nem as pensa (acredito mesmo que há gente que “propagandeia” estes perigosos valores apenas para se valorizar, apenas para ter votos ou audiências) o monstro cresce.

Neste momento existe uma promoção dos velhos valores que se alimentam do ódio pelos outros, e uma campanha de empolamento dos erros da Democracia, que obviamente existem e que os Políticos têm de evitar, todos temos de contribuir para que existam em menor número, nomeadamente acreditando em quem faz, e faz bem, em quem é credível, e não em cheiros ou imagem de sabonetes.

Seguimos, em ritmo de novela, as notícias do que de mal se faz (é essencial essa informação) e não olhamos sequer para os bons exemplos (também porque os média insistem em entender que o Bom não vende e não se promove, é por isso que raramente vemos notícias do que dos benefícios que a democracia e os seus intervenientes nos trazem. É essencial essa informação). O belo não vende, não traz popularidade, não traz votos! Não???? Investir em bons exemplos, fazê-los e divulgá-los é contribuir para a sobrevivência da Democracia.

Os primeiros culpados somos todos nós se não participarmos activamente, colocando em pratica os bons valores democráticos que defendemos, estar sentado a ver passar o presente , não nos garante um futuro verdadeiramente livre e democrático.

Foi o redespertar dessa consciência que me faz voltar a tentar elevar os princípios democráticos. Tenho de contribuir para este enorme esforço e desafio de reconstrução e reafirmação da Democracia no reduzido espaço temporal que temos pela frente .

 

“É urgente procurar outros caminhos. Sonhar não é loucura. Loucura, hoje, é não sonhar. Na certeza, porém, de que esses caminhos, esses sonhos, só podem ser encontrados por meios pacíficos e democráticos. A democracia, essa utopia primordial, não pode ser posta em causa. Todos somos poucos para a defender. "

José Eduardo Agualusa

in 'O Paraíso e Outros Infernos'

Última edição

Gala Notícias de Loures

Gala | Notícias de Loures

Opinião

Eleições

Newsletter