Anuncie connosco
Pub
Notícias | Desporto e Lazer

Dos trilhos de Bucelas para o topo do BTT

Renato Ferreira

6 de março de 2019
Partilhar

Filho e neto de ciclistas, Renato Ferreira nasceu há 29 anos em Bucelas e é um dos maiores atletas nacionais de BTT. Campeão nacional em 2017, sonha criar a sua própria equipa no concelho.

Embora nascido e criado entre as vinhas de Bucelas, é em cima de duas rodas que Renato Ferreira se sente mais confortável. Aos 29 anos, o ciclista é uma das maiores referências nacionais do BTT e luta para conciliar o emprego, os treinos e a vida familiar e social. A culpa foi do avô, ciclista amador no Benfica e quem lançou o “bichinho” na família.

Ainda muito jovem, Renato já acompanhava o pai e os amigos, que se juntavam aos domingos para dar umas voltas de bicicleta. Passou pelo atletismo, pela natação e até pelo futebol, mas foi em cima de uma “bike” que descobriu a sua vocação. Daí até procurar uma equipa onde competir foi um pequeno passo. Começou no Belas, onde competiu nos primeiros campeonatos regionais e inter-regionais, ainda com idade de júnior. As vitórias nas provas logo no ano de iniciação faziam prever um futuro risonho na modalidade, o que viria a confirmar-se rapidamente.

“No ano seguinte, comecei a fazer provas da Taça de Portugal e os campeonatos nacionais, mas não correram muito bem, como é natural no primeiro ano do escalão de sub-23, porque competimos logo com os melhores”, conta Renato Ferreira. Mas, o sucesso não tardaria. Ao terceiro ano como sénior, Renato sagra-se campeão nacional de rampa, um contrarrelógio sempre em subida. No ano seguinte, vence a modalidade de BTT de meia-maratona, mais de 45 quilómetros. “Existem várias modalidades no BTT: o downhill, que é sempre a descer, o enduro, que são subidas e descidas, o cross-country, um circuito circular que já é modalidade olímpica e as maratonas, que podem ir dos 90 até aos 120 quilómetros”, explica o atleta.

Em 2017, já no escalão de elites, vence a Taça de Portugal de maratonas, o marco mais importante da carreira até à data. Atualmente a representar o Vasconha BTT Vouzela, uma equipa do distrito de Viseu, Renato Ferreira tem o sonho de criar uma equipa no concelho de Loures, embora nunca tenha conseguido os apoios necessários, nem por parte da Câmara Municipal, nem por parte de entidades privadas.

 

Uma modalidade com pouca visibilidade

 

Só existem quatro atletas profissionais de BTT em Portugal, que nem sequer correm em equipas portuguesas. Um cenário que obriga Renato Ferreira a conciliar os treinos com a atividade profissional. “Dou aulas de educação física, tenho um gabinete de fisioterapia no Tojal e faço prescrições e acompanhamento de treino de atletas de ciclismo e BTT, sendo que tenho de combinar tudo isto com os treinos e as provas”, revela. “Tento deixar as manhãs para treinar e depois trabalho, muitas vezes, até perto da meia-noite”, conta o ciclista.

“Em Portugal, faltam apoios e o BTT não tem a visibilidade suficiente para angariar os patrocínios necessários para que os atletas se tornem profissionais”, desvenda. Apoios foi algo que Renato nunca conseguiu no concelho nem na freguesia, apesar de, por várias vezes, ter tentado dinamizar projetos e atividades locais. “Já apresentei um projeto na Junta de Freguesia de Bucelas e na Câmara Municipal de Loures para criar um mini-centro de BTT/Trail com percursos sinalizados para dinamizar a freguesia, mas esses projetos nunca avançaram, apesar de terem custos irrisórios”, conta.

“A ideia seria criar uma rede de trilhos, com pontos de interesse, para que fossem criadas condições para as pessoas poderem usufruir da natureza e até para atrair atletas de BTT de outras zonas do país”, defende. “Tenho um grupo de amigos que organiza eventos em Bucelas, cujas receitas revertem exclusivamente para os bombeiros, e que já criou passeios guiados, eventos de trail e de BTT, com mais de mil pessoas num só evento”, sustenta Renato Ferreira.

Última edição

Gala Notícias de Loures

Gala | Notícias de Loures

Opinião

Eleições

Newsletter