Anuncie connosco
Pub
Notícias | Atualidade

Na EB1/JI Quinta da Alegria

IRA recolheu alimentos e mantas

3 de dezembro de 2018
Partilhar

Grupo de defesa dos animais IRA – Intervenção e Resgate Animal - esteve na escola da Portela no dia em que a polémica reportagem da TVI foi para o ar. Convite partiu da escola e pais relatam “experiência muito positiva”.

Uma equipa de elementos do grupo IRA – Intervenção e Resgate Animal – esteve, no passado dia 15 de novembro, na EB1/JI Quinta da Alegria, na Portela. Os voluntários do IRA, que intervieram sem máscaras, “angariaram alimentação para cães e gatos, assim como mantas e cobertores”, pode ler-se na página daquela associação no Facebook.

“Em troca, os elementos da equipa do IRA explicaram (às crianças) os cuidados a terem com os seus animais, as responsabilidades enquanto detentores e a importância de respeitar o animal enquanto ser senciente», lê-se ainda naquela publicação.

O nosso jornal sabe que a iniciativa foi organizada pela escola e foi anterior à controversa reportagem da TVI sobre aquela associação. De acordo com relatos de alguns pais, que preferiram não ser identificados, “as crianças adoraram, fizeram imensas perguntas e contaram histórias dos seus animais de estimação”. Segundo os mesmos pais, “foi uma experiência muito positiva, independentemente do mediatismo que existe em volta desta associação, sendo que, de forma alguma, existiu um discurso que incentivasse o ódio ou a violência”.

Uma reportagem, muita polémica

Recorde-se que a associação IRA – Intervenção e Resgate Animal –, criada há dois anos, foi alvo de uma reportagem na TVI, que estreou no novo programa da jornalista Ana Leal, e que provocou bastante polémica. Na peça da TVI, membros do IRA foram acusados de insultar e sequestrar pessoas que alegadamente maltratavam os seus animais de estimação. Na reportagem, o grupo foi ainda acusado de ter ligações a elementos do partido “Pessoas, Animais, Natureza” (PAN), nomeadamente à advogada Cristina Rodrigues, membro da Comissão Política do partido.

O PAN revelou, em comunicado que Cristina Rodrigues irá perguntar à Procuradoria Geral da República se está a ser investigada por ligações ao grupo. Por sua vez, o IRA criticou bastante a reportagem da TVI na sua página do Facebook.

O movimento contestou os depoimentos das alegadas vítimas e sustentou que a TVI recorreu a um vídeo “de comédia” para justificar o suposto terrorismo do grupo.

Em entrevista à RTP1, concedida no dia seguinte à emissão da reportagem da TVI, o IRA revelou que os seus elementos não atuam encapuzados nem utilizam armas, sobretudo porque a maioria das suas ações são acompanhadas pela PSP. “Se constatarmos que realmente existe um crime de maus-tratos ou negligência a decorrer, aí sim contactamos e solicitamos a presença das autoridades competentes, caso os detentores não estejam recetivos à ideia de entregar o animal de livre e espontânea vontade para tratamentos veterinários imediatos”, disse um dos membros do IRA na entrevista.

Última edição

Gala Notícias de Loures

Gala | Notícias de Loures

Opinião

Eleições

Newsletter