Anuncie connosco
Pub
Notícias | Atualidade

16º Simpósio da Paz:

A Necessidade Urgente de Paz

8 de abril de 2019
Partilhar

O evento

O evento realizou-se na Mesquita Baitul Futuh, em Londres, esta trata-se da maior mesquita da Europa Ocidental e contou com a presença de mais de 1000 pessoas, incluindo 700 dignitários e convidados, oriundos de 30 países, entre os quais membros do parlamento, deputados, embaixadores, líderes religiosos e cívicos, bem como representantes das diversas instituições de caridade e das comunidades religiosas.

O Notícias de Loures foi convidado a estar presente em todo o Evento, que além do jantar onde se proclamaram os discursos e se entregou o Prémio da Comunidade Islâmica Ahmadia para a Promoção da Paz, consistiu ainda de uma visita guiada a toda a Mesquita, uma conferência de imprensa com o Chefe Supremo desta Comunidade, o Califa Hadrat Mirza Masroor Ahmad onde se colocaram questões pertinentes acerca do tema e do estado atual do Mundo e houve também a possibilidade de um encontro mais pessoal com o Califa para apresentações.

Sobre a islamofobia

 “À medida que as rivalidades fermentam e os ódios se tornam cada vez mais entrincheirados, ninguém sabe a onde tais questões finalmente nos levarão ou quão terríveis serão as consequências”.

Hadrat Mirza Masroor Ahmad mencionou uma série de fatores que contribuem para as tensões entre as potências nucleares, conflitos e guerras “fomentadas” no Médio Oriente, o crescimento exponencial de grupos nacionalistas da extrema-direita, anti-imigração, as frustrações económicas locais que afastam a unidade entre os países.

Estes ressentimentos baseiam-se na opinião de que os cidadãos nativos existentes estão a ser prejudicados para financiar e apoiar os imigrantes.

Ele acredita que a solução a longo prazo será estabelecer a paz nos países de origem e ajudar as populações devastadas pela guerra a reconstruir-se.

E a solução a curto prazo será tratar os refugiados com dignidade e respeito e ao mesmo tempo, o apoio que lhes é dado não ser à custa dos cidadãos. Devem ser incluídos na sociedade, trabalhar e gerar valor para a sociedade em que estão inseridos.

Caso contrário, isso contribuirá para ressentimentos, aspeto que, segundo o Califa, só por si acontece devido à frustração financeira e injustiça económica que já se vive no país de acolhimento, o que gera a islamofobia e xenofobia.

 Sobre uma guerra nuclear

“Se houver uma guerra nuclear, não estaremos apenas a destruir o mundo hoje, mas também estaremos a deixar para trás um rastro permanente de destruição e miséria para as futuras gerações. Portanto, devemos fazer uma pausa e refletir sobre as consequências dos nossos atos.”

Comentando as tensões crescentes entre os países, Hadrat Mirza Masroor Ahmad falou na tensão entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte e o acordo de paz que não aconteceu, e da escalada de tensão entre a Índia e o Paquistão: “ambos os países são potências nucleares e ambos têm alianças estabelecidas com outros países, quer aberta quer secretamente, o que significa que as consequências potenciais de uma guerra seriam extensas e de grande alcance.”

Hadrat Mirza Masroor Ahmad afirmou que os países estão a usar conflitos no Médio Oriente como uma desculpa para formar alianças e desencadear novos conflitos, tanto a Rússia com a Turquia de um lado e os Estados Unidos e a Arábia Saudita do outro, ambos com o objetivo de dominar o Médio Oriente pressionando cada vez mais o Irão.

O Califa lamenta ainda a guerra da Síria e dá como exemplo de uma guerra que nada alcançou:

“Ao longo de quase uma década, a Síria foi devastada pelo derramamento de sangue e despedaçada. Diz-se que a guerra civil está agora a aproximar-se do fim, mas o que foi alcançado na última década exceto a morte de centenas de milhares de pessoas inocentes e o deslocamento de milhões de outras pessoas? Nada de positivo surgiu e o futuro permanece incerto e precário, à medida que as tensões aumentam entre os países que têm os seus próprios interesses ligados ao futuro da Síria.”

Salientou que a guerra nuclear já não era uma perspetiva remota ou distante, pelo contrário, era uma ameaça crescente que não poderia continuar a ser esquecida ou ignorada.

O prémio

Durante o evento, o Califa Hadrat Mirza Masroor Ahmad conferiu ao dr. Fred Mednick, fundador de professores sem fronteiras, o Prémio da Comunidade Islâmica Ahmadia para a promoção da paz, em reconhecimento dos seus esforços para fornecer acesso irrestrito à educação algumas das partes mais negligenciadas do mundo.

Após ter recebido Prémio da Comunidade Islâmica Ahmadia para a promoção da paz, dr. Fred Mednick, fundador de professores sem fronteiras, disse:

“Com este prémio, sua santidade, a comunidade ahmadia ouviu a voz do professor e ouviu a canção dos professores… eu só posso dizer aqui hoje, honrado pela hospitalidade e cordialidade e abertura desta comunidade, é uma honra especial para receber este prémio; faremos o melhor que pudermos, incha’allah [se deus quiser], para chegar a todos os professores que pudermos neste planeta e ainda mais professores e mais crianças nesses pequenos lugares em toda a parte da terra.” 

Sobre o terrorismo

“Dizem que o grupo terrorista Daesh está à beira do colapso e que o seu autoproclamado “Califado” chegou ao fim. Mas os especialistas também alertam que, embora o Daesh tenha perdido o seu território, a sua ideologia odiosa ainda persiste e os seus membros que sobreviveram estão agora a dispersar-se e podem eventualmente reagrupar-se e perpetrar ataques na Europa ou em qualquer outro lugar.”

Já em várias outras ocasiões, Hadrat Mirza Masroor Ahmad se referiu a atitudes extremistas como atos que não se identificam com a religião e com quem segue o Alcorão.

Condena todo e qualquer ato terrorista, de ideologia terrorista ou que manifestem intolerância para com o outro. Os ensinamentos do Alcorão deixam claro que a violência não faz parte do islamismo.

Antes do discurso do Califa, foram dadas as boas vindas por sr. Rafiq Hayat, o Presidente Nacional da Comunidade Islâmica Ahmadia do Reino Unido.

O reverendíssimo Kevin McDonald, Arcebispo Emérito da Igreja Católica Arquidiocese de Southwark era um dos convidados e agradece à Comunidade Islâmica Ahmadia pela sua firme determinação na promoção da paz.

“Esta iniciativa é bastante incomum, diferente e imaginativa, reunindo pessoas de diferentes religiões, diferentes crenças, pessoas do setor público e privado, pessoas de diferentes esferas da vida para refletir sobre a paz, porque a paz é uma questão importante para nós todos…” Kevin McDonald, destaca.

Acrescentou ainda que a paz e o conceito de união são fatores comuns a todas as religiões e por isso devia ser um agregador de esforços para o bem comum, a nível internacional, do ponto de vista político e social. Hadrat Mirza Masroor Ahmad afirmou veemente que a Comunidade Islâmica Ahmadia nunca desistiria dos seus esforços para promover a paz no mundo.

Terminou a cerimónia com uma oração partilhada por todos.

Última edição

Gala Notícias de Loures

Gala | Notícias de Loures

Opinião

Eleições

Newsletter